Não deixe fazer parte de seu cotidiano.

“JUNK FOOD” – A receita do desastre

O dia a dia cada vez mais corrido faz com que muitas pessoas não se preocupem com a alimentação e acabem aderindo a alternativas menos nutritivas, como os chamados “Junk Food”. A expressão pode ser traduzida para “comida lixo” ou “porcaria”, apesar de danosa a saúde, poucos conseguem resistir aos vários tipos disponíveis para alimentação.

A preocupação em torno da alimentação Junk food é crescente, já que em termos de valores nutricionais ela contém gorduras demais e outros ingredientes que são prejudiciais ou que não satisfazem todas as necessidades de nutrientes ao organismo. Isso porque este tipo de alimentação possui alto grau de calorias e gorduras, além de açúcar e sódio, o que a torna pouco nutritiva.

Muitas controvérsias incidem sobre este tipo de alimentação, devido ao significativo impacto na saúde do consumidor. Embora muitas vezes a racionalidade não esteja presente no que se deve ou não comer, a Junk Food continua entre os pedidos preferidos em relação a outras opções mais saudáveis.

Cuidado!!!

JUNK FOOD PODE SER UMA ALIMENTAÇÃO VICIANTE

Especialistas afirmam que consumir alimentos hipercalóricos como os Junk Food não apenas provocam a obesidade, como também diminuem a vontade de consumir alimentos mais saudáveis e nutritivos, sugerindo um vício involuntário por quem adere diariamente por este tipo de alimentação.

À medida que o consumo por alimentos menos saudáveis aumenta e a obesidade se intensifica, fica mais difícil resistir às calorias, o que leva o agravamento do problema.

COMER RÁPIDO E MAL

Hambúrgueres, pizzas, batatas fritas ou qualquer outra opção ofertada no mundo “delivery” vem transformando radicalmente a maneira como as pessoas se alimentam. Comer nunca foi tão fácil e rápido, mas não é tão bom quanto se pensa para a saúde. É preciso colocar na balança até onde a praticidade pode ir e que não prejudique a saúde.

É muito comum na correria do dia a dia, pela falta de tempo, comodidade ou pela própria falta do que escolher acabar optando pelas famosas comidas rápidas, porém, sem qualquer riqueza nutricional. Muitas pessoas acabam pulando café da manhã ou outras refeições importantes, optando por lanches rápidos.

O consumo de Junk Food acaba tornando-se um hábito, e que pode ocasionar consequências negativas imediatas como o excesso de peso, pressão arterial alta, diabetes, doença cardiovascular e excesso de peso.

GANHO DE PESO

Um dos efeitos mais óbvios de quem consome Junk Food é o ganho acelerado de peso. Tal evidência acaba impactando outras funções do resto do corpo e pode ser ainda mais complicado, já que algumas doenças podem surgir pelo consumo de alimentos nada saudáveis.

Este tipo de alimentação é rico em gorduras saturadas, em que muitas delas são altamente processadas e pré-embaladas, o que facilita na hora do consumo e do preparo. Picos de energia também são evidenciados nestas refeições rápidas, mas, em seguida, os níveis de açúcar decrescem rapidamente, o que provoca rapidamente a sensação de fadiga e fome, fazendo com que novamente haja o consumo.

A grande preocupação são as crianças, que a cada dia vem aderindo à alimentação Junk Food, já que muitas vezes substituem alimentos saudáveis por lanches rápidos e ouros alimentos, como sorvetes, doces, donuts, batatas, refrigerantes, entre outros…

A caminho do médico.

SUPER SIZE ME: O DOCUMENTÁRIO

O prazer e a comodidade passaram a serem duas palavras de grande importância na mesa de muitos brasileiros, substituindo alimentos saudáveis por lanches rápidos, como o chamado “McDonald’s”. Pensando em documentar o quão prejudicial é este tipo de alimentação, Morgam Spurlock passou a alimentar-se durante um mês apenas com lanches do “McDonald’s”. Durante esta experiência três regras foram obedecidas:

1- Sem opções: tinha que comer o que estava disponível;

2- Não podia comer o menu grande, exceto o que fosse oferecido;

3- Tinha que comer todos os itens do menu pelo menos uma vez.

Antes de iniciar o experimento vários exames foram feitos, declarando que Morgan estava em perfeita condição de saúde. Ao iniciar o consumo de alimento do McDonalds os efeitos da má qualidade nutricional já foram sendo refletidos. Depressão, ganho de peso (Morgan ganhou 12 quilos), o fígado parou de funcionar, além de dores no peito e dificuldade de respirar.

Uma combinação que pode ser perfeita ou ...

Diante do teste ficou evidente, num pequeno período de tempo, o grande risco da ingestão das comidas rápidas e industrializadas.

Fontes:

http://www.posestacio.com.br/noticias/420/os-impactos-de-comer-147junk-food148;

http://fitness.clix.pt/2395/os-perigos-escondidos-da-fast-food.htm.

4 thoughts on ““JUNK FOOD” – A receita do desastre”

  1. Olá Gabriela, obrigado, seja bem vinda. Que bom que tenha gostado do post, em breve postaremos mais, referente ao tema abordado, abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *